Quais as formas de estudar fora?

Estudar no exterior faz parte dos planos de muitos profissionais. Ter experiência construída em outro país abre muitas portas, pois agrega um valor imensurável ao currículo e faz com que ele se destaque em meio a concorrência. Contudo, se preparar para ela exige muito planejamento e organização. Sair do Brasil é um desafio, claro, mas nenhum que seja impossível.

Para começar, é preciso ter calma e organização para realizar boas pesquisas e análises. Encontrar o país correto e a melhor universidadepara você é um processo que pode levar algum tempo, mas é o ponto de partida também para que este sonho tome forma. Em seguida, é interessante reunir todos os documentos necessários para viagem, para que nenhum impasse surja de surpresa e atrapalhe algo que já esteja devidamente agendado.

Por fim, chega a hora de decidir em que forma de estudar foravocê investirá. Sem dúvidas, esta é uma etapa delicada e por isso vale a pena continuar a leitura desse artigo e avaliar a opção mais adequada para sua realidade. Acompanhe!

Por meio de bolsas de estudos

As bolsas de estudosestão entre as principais formas de estudar fora. Para quem precisa de uma folga financeira, então, não há alternativa mais favorável. Mas ela requer muita dedicação, pois o processo de inscrição é extremamente detalhado e repleto de prazos importantes para se cumprir. Nesse caso, também é interessante já ter o inglês, ou outro idioma, em nível avançado.

Afinal, você terá que preencher vários questionários, providenciar a tradução de cartas de recomendação fornecidas por colegas de trabalho ou professores e ainda escrever as famosas essays, redações que contam um pouco de sua trajetória ou que sejam direcionadas para um tema específico. Esse domínio também é importante para as entrevistas online, via telefone ou presenciais, muito requisitadas para finalizar o processo seletivo.

É também importante conferir se o seu perfil se encaixa na vaga disponibilizada pela universidade. Lembre-se que existem concorrentes de todo o mundo nessa disputa, e quanto mais alinhado às exigências você estiver, maiores serão suas chances. Para completar, providencie seu histórico acadêmico e profissional, em caso de MBA, e compare suas notas médicas com as solicitadas pelo curso. Se tudo estiver em ordem, basta enviar a documentação nas datas marcadas e cruzar os dedos ao torcer pelo melhor.

Com a ajuda financiamentos

Embora muita gente não saiba, financiar os estudos também é uma forma de conseguir realizar o intercâmbio no exterior. Para alguns cursos, instituições bancárias brasileiras até mesmo oferecem linhas de créditos especiais para determinados cursos, que cobrem integral ou parcialmente sua duração. Na maioria das vezes, essa alternativa é mais interessante para quem tem pelo menos parte do valor total do curso já reservado em uma poupança.

As negociações são feitas diretamente com o gerente do banco e, apesar de pedirem o cumprimento de uma série de determinações, costumam ser liberadas sem tanta demora. Faça um bom planejamento financeiro, porque mesmo que você tenha um tempo para quitar a dívida, é bom não deixá-la de lado para evitar problemas. Não deixe de pesquisar também qual será o melhor banco para iniciar esse processo. Estude as condições de cada um deles e, se julgar necessário, peça até mesmo o auxílio de um profissional contábil para averiguar se está tudo certo.

Caso prefira, ainda existem financiamentos que pode ser realizados junto às instituições de ensino. Em alguns casos, o curso pode ser totalmente financiado. Os juros não são muito altos e o estudante tem até 25 anos para finalizar o pagamento. Nesse caso, porém, as determinações legais são mais exigentes, então é interessante verificar exatamente o que é solicitado para ver se a possibilidade se encaixa em sua realidade.

Pela orientação de agências de viagem ou instituições brasileiras com parceria no exterior

Agilizar todos os trâmites para estudar foranão é fácil. São diversas traduções oficiais, documentos importantes e outros detalhes, que vão da compra de passagens até a hospedagem no novo país. Organizar tudo pode ser confuso, especialmente com tantos outros compromissos diários para cumprir no Brasil antes de viajar com tranquilidade.

Neste momento, a orientação de agências de viagem especializadas ou de instituições brasileiras que tenham parceria com universidades estrangeiras cai como uma luva. Com total preparo, os profissionais auxiliam em todas as etapas para se inscrever em seu curso de preferência. Como estão em contato direto com as instituições de ensino, conseguem repassar tudo com o maior cuidado: horários, grade curricular, facilidades de pagamento, opções de hospedagem e muito mais.

É preciso se preocupar com pouca coisa, e a garantia de que tudo será feito corretamente é muito maior. Se você estiver com dúvidas a respeito de onde estudar, tanto em questões de país ou cidade quanto de universidades e cursos, a empresa também consegue ajudar nessa escolha. Ela tem em mãos todas as informações necessárias para identificar seu perfil e indicar caminhos que se aproximem do que você busca para definir o programa ideal. Ou seja, as chances de que você não goste ou não se realize nessa experiência são mínimas.

Como escolher a melhor maneira de estudar fora

Com tantas formas de estudar fora, é complicado escolher a melhor. Então, o primeiro passo para acabar com essa dúvida é pensar bastante a respeito de suas expectativas: o que você pretende com o curso? Está pronto para investir financeiramente na experiência? Quanto tempo você pode esperar para que concretizar seu planejamento? Todos esses detalhes são essenciais para que você tome uma decisão acertada e faça uma viagem tranquila.

E atenção: não atire para todos os lados. Escolha apenas um jeito e se dedique a ele. Caso você tenha muitos processos em andamento, pode acabar perdendo oportunidades e comprometendo seu nome perante as universidades. Algumas permitem uma nova tentativa de inscrição somente após o período de um ano, então é bom levar a sério sua escolha para que tudo dê certo de primeira.

E então, qual dessas opções você acha que é mais interessante para estudar fora? Sabe qual é a melhor para você, depois de fazer essa leitura? Já teve a experiência com alguma delas e tem um relato positivo para contar? Deixe um comentário abaixo e compartilhe sua opinião!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *